Perspetivas sobre práticas de reflexão no estágio em 1º CEB: a voz dos estudantes

  • Maria Cecília Bento
  • Amélia Lopes
  • Maria de Fátima Pereira
Palavras-chave: Formação inicial de professores, Prática pedagógica, Reflexão

Resumo

Apresentamos aqui resultados parciais de um estudo sobre a dimensão da reflexão como investigação na formação inicial de professores do 1º Ciclo do Ensino Básico (CEB), em Portugal. A escola e as concepções sobre a infância alteraram-se ao longo do tempo. Interessa compreender o contributo da formação na capacidade para lidar com problemas dos contextos atuais. A reflexão é uma competência a ser construída na formação inicial de professores, mas as suas relações com dinâmicas de investigação necessitam de maior esclarecimento. Pretende-se compreender a organização do estágio na formação inicial de professores do 1º CEB, as práticas de reflexão das estudantes e a sua centralidade como uma ferramenta de investigação e desenvolvimento profissional. Recolhemos e analisamos documentos caracterizadores da formação e relatórios de estágio e realizamos um focus group, entrevistas com professores supervisores, professores cooperantes e estudantes, apre-sentando aqui resultados referentes a essas últimas. Da análise, inferimos que há na formação preocupação com o desenvolvimento de práticas reflexivas, apesar de não se verificar sempre a presença sistemática dessa reflexão

 

Referências

ALARCÃO, Isabel. Ser professor reflexivo. In: ALARCÃO, Isabel (Org.). Formação reflexiva de professores. Estratégias de supervisão. Porto: Porto Editora,1996a. p. 171-189.

ALARCÃO, Isabel. Reflexão crítica sobre o pensamento de D. Schön e os programas de formação de pro-fessores. In: ALARCÃO, Isabel (Org.). Formação reflexiva de professores. Estratégias de supervisão. Porto: Porto Editora,1996b. p. 9-39.

ALARCÃO, Isabel. A escola reflexiva. In: ALARCÃO, Isabel (Org.). Escola reflexiva e nova racionalidade. São Paulo: Artmed,2001. p. 15-30.

AMADO, João; COSTA, António Pedro; CRUSOÉ, Nilma. A técnica de análise de conteúdo. In: AMADO, João (Coord.). Manual de investigação qualitativa em educação. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra,2014. p. 301-351.

AMADO, João; FERREIRA, Sónia. A entrevista na investigação em educação. In: AMADO, João (Coord.). Manual de investigação qualitativa em educação. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra,2014. p. 207- 232.

AMARAL, M.ª João; MOREIRA, M.ª Alfredo; RIBEIRO, Deolinda. O papel do supervisor no desenvolvimen-to do professor reflexivo. Estratégias de supervisão. In: ALARCÃO, Isabel (Org.). Formação Reflexiva de Professores – Estratégias de supervisão. Porto: Porto Editora, 1996. p. 89-122.

BERGER, Guy. A investigação em Educação: modelos socioepistemológicos e inserção institucional. Revista de Psicologia e Ciências da Educação, Porto, n. 3, v. 4, p. 23-36, 1992.

BOGDAN, Robert; BIKLEN, Sari. Investigação Qualitativa em Educação. Tradução de Maria João Alvarez, Sara Bahia dos Santos e Telmo Mourinho Baptista. Porto: Porto Editora, 1994.

BRZEZINSKI, Iria. Fundamentos sociológicos, funções sociais e políticas da escola reflexiva e emancipa-dora: algumas aproximações. In: ALARCÃO, Isabel (Org.). Escola reflexiva e nova racionalidade. São Paulo: Artmed,2001. p. 65-82.

CAMPOS, Bártolo. Políticas docentes: formação e avaliação. Porto: Mais Leituras, 2013.

CARVALHO, Adalberto Dias de. A formação de professores e os desafios da Declaração de Bolonha. In: SERRALHEIRO, João Paulo (Org.). O Processo de Bolonha e a formação dos educadores e professores portugueses. Porto: Profedições, 2005. p. 23-28.

DECLARAÇÃO DE BOLONHA. 19 de junho de1999. Declaração conjunta dos ministros da educação euro-peus. Disponível em: <http://www.ehea.info/Uploads/Documents/1999_Bologna_Declaration_Portuguese. pdf>. Acesso em: 13 fev. 2016.

ESTEVES, Manuela. Bolonha: que formação queremos? In: SERRAHEIRO, José Paulo (Org.). O Processo de Bolonha e a formação dos educadores e professores portugueses. Porto: Profedições,2005. p. 151-152.

FORMOSINHO, João. A formação prática dos professores. Da prática docente na instituição de formação à prática pedagógica nas escolas. In: FORMOSINHO, João (Coord.). Formação de Professores: Aprendizagem profissional e acção docente Porto: Porto Editora,2009. p. 93-117.

GONÇALVES, Tadeu Oliver; GONÇALVES, Terezinha Valim Oliver. Reflexões sobre uma prática docente si-tuada: buscando novas perspectivas para a formação de professores. In: GERALDI, Corinta Maria Grisolia; FIORENTINI, Dario; PEREIRA, Elisabete Monteiro de A. (Orgs.). Cartografias do trabalho docente: professor(a)--pesquisador(a). Campinas: Mercado das Letras,2001. p. 105-134.

LALANDA, Mª Conceição; ABRANTES, Mª Manuela. O conceito de reflexão em J. Dewey. In: ALARCÃO, Isabel (Org.). Formação reflexiva de professores. Estratégias de supervisão. Porto: Porto Editora, 1996. p. 41-61.

LEITÃO, Álvaro; ALARCÃO, Isabel. Para uma nova cultura profissional: uma abordagem da complexidade na formação inicial de professores do 1º CEB. Revista Portuguesa de Educação, Braga, v. 19, n. 2, p. 51-84, 2006.

LESSARD-HÉBERT, Michelle; GOYETTE, Gabriel; BOUTIN, Gérald. Investigação Qualitativa – Fundamentos e práticas.5ª edição. Tradução de Maria João Reis. Lisboa: Instituto Piaget, 2012.

LOPES, Amélia et al. A formação inicial de professores do 1º CEB nas duas últimas décadas: uma caracte-rização a partir de discursos de natureza sócio/política. In: LOPES, Amélia (Coord.). De uma escola a outra. Temas para pensar a formação inicial de professores. Porto: CIIE/Afrontamento, 2007, p. 27-34.

LOPES, Amélia; SILVA, Manuel António; SOUSA, Cristina; ROCHA, Rosália; FRAGATEIRO, Lourdes. Identidades profissionais de base e currículo de formação inicial: o caso do curso de 1976/1979 da Escola do Magistério Primário do Porto. In: LOPES, Amélia (Org.). De uma escola a outra – Temas para pensar a formação inicial de professores. Porto: Afrontamento/CIIE, 2007, p. 17-25.

LOPES, Maria Amélia; PEREIRA, Fátima. Culturas escolares, perspetivas curriculares e identidades profissio-nais dos professores portugueses. In: LOPES, Alice Casimiro; LEITE, Carlinda (Orgs.). Políticas educativas e dinâmicas curriculares em Portugal e no Brasil. Porto: CIIE/Livpsic, 2008, p. 95-113

MATIZ, Luciana; LOPES, Amélia. Áreas do saber, formação inicial e vivências de inserção profissional de professores principiantes – reflexões sobre dados exploratórios. In: SILVA, B.; ALMEIDA, L. S.; BARCA, A.; PERALBO, M. (Orgs.). Actas do X Congresso Internacional Galego-Português de Psicoterapia. Braga: CIEd, 2009, p. 1416-1429.

MOREIRA, Maria Alfredo et al. A investigação-acção na formação reflexiva de professores em formação inicial: percursos e evidências de um projecto de supervisão. In: VIEIRA, Flávia; MOREIRA, Maria Alfredo; BARBOSA, Isabel; PAIVA, Madalena; FERNANDES, Isabel Sandra. No Caleidoscópio da Supervisão: imagens da Formação e da Pedagogia. Mangualde: Edições Pedago, 2006, p. 45-76.

OLIVEIRA, Maria Helena; VASCONCELOS, Teresa. Os Portfólios reflexivos na prática pedagógica: implicações da participação do professor cooperante. Da investigação às práticas – estudos de Natureza Educacional.

Lisboa, v. X, n. 1, p. 127-152. 2010. Disponível em: <http://repositorio.ipl.pt/bitstream/10400.21/486/1/Os%20 portf%C3%B3lios%20reflexivos%20na%20pr%C3%A1ctica%20pedag%C3%B3gica.pdf>. Acesso em: 20 abr.2013.

PEREIRA, Fátima. Idealizar a vida, gerir o presente e projectar o futuro: o governo da infância nos discursos em formação inicial de professores. Porto: UP, 2007. Tese (Doutorado em Ciências da Educação) – Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação, Universidade do Porto, Porto, 2007.

PEREIRA, Fátima. In-service teacher education and scholar innovation: The semantics of action and reflection on action as a mediation device. Australian Journal of Teacher Education, Perth, v. 36, n. 11, p. 33-50, 2011.

PEREIRA, Fátima. Formação de professores e epistemologia do trabalho docente: novos e velhos desafios sobre a justiça social-escolar. In: FLORES, Maria Assunção; MOREIRA, Maria Alfredo; OLIVEIRA, Lia Raquel (Orgs.). Desafios curriculares e pedagógicos na formação de professores. Ramada: Pedago, 2015. p. 63-73.

PEREIRA, Fátima et al. Trinta anos de formação inicial de professores: estatuto, academização e profissio-nalização. In: MARTINS, Ernesto Candeias (Ed.). Cenários da educação/formação: novos espaços, culturas e saberes. VIII Congresso da Sociedade Portuguesa Ciências da Educação. Castelo Branco: SPCE, 2007.

PORTUGAL, Decreto-Lei nº. 43/2007, de 22 de fevereiro.

RAMOS, Mª Antónia; GONÇALVES, Rosa Edite. As narrativas autobiográficas do professor como estratégia de desenvolvimento e a prática da supervisão. In: ALARCÃO, Isabel (Org.). Formação reflexiva de professores. Estratégias de supervisão. Porto: Porto Editora,1996. p. 123-150.

RODRIGUES, Ângela. A formação de formadores para a prática na formação inicial de professores. In: SEMINÁRIO MODELOS E PRÁTICAS DE FORMAÇÃO, 1998, Lisboa. Anais..., Lisboa: Departamento de Educação da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, 2001.

RODRIGUES, Ângela; Esteves, Manuela. A análise de necessidades na formação de professores. Porto: Porto Editora, 1993.

SÁ-CHAVES, Idália. Informação, formação e globalização: novos ou velhos paradigmas? In: ALARCÃO, Isabel (Org.). Escola reflexiva e nova racionalidade. São Paulo: Artmed,2001. p. 83-95.

SCHÖN, Donald. The reflective practitioner – how professionals think in action. Aldershot: Arena, 1995.

SCHÖN, Donald. Educando o profissional reflexivo: um novo design para o ensino e a aprendizagem. Tradução de Roberto Cataldo Costa. Porto Alegre: Artes Médicas, 2000.

SOUZA, Ana Paula G. et al. A escrita de diários na formação docente. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 28, n. 1. p. 181-210, mar. 2012.

STENHOUSE, Lawrence. La investigación como base de la enseñanza. Textos selecionados por J. Rudduck e D. Hopkins. Madrid: Ediciones Morata, 1993.

TAVARES, José; ALARCÃO, Isabel. Paradigmas de formação e investigação no ensino superior para o terceiro milênio. In: ALARCÃO, Isabel (Org.). Escola reflexiva e nova racionalidade. São Paulo: Artmed,2001. p. 97-114.

TAVARES, José. Relações interpessoais em uma escola reflexiva. In: ALARCÃO, Isabel (Org.). Escola reflexiva e nova racionalidade. São Paulo: Artmed, 2001, p. 31-64.

VAN MANEN, Max. On the Epistemology of Reflective Practice. Teachers and Teaching: theory and practice, v. 1, n. 1, p. 33-50, mar. 1995. Disponível em: <http://www.maxvanmanen.com/files/2011/04/1995-Episto-fReflective-Practice.pdf>. Acesso em: 14 abr. 2015.

ZEICHNER, Kenneth M. Uma análise crítica sobre a “reflexão” como conceito estruturante na formação docente. Educação & Sociedade, Campinas, v. 29, n. 103, p. 535-554, maio/ago. 2008.

Publicado
2016-12-31
Seção
Artigos