A produção acadêmica sobre formação de professores: um estudo comparativo das dissertações e teses defendidas nos anos 1990 e 2000

  • Marli E. D. A. André PUC-SP
Palavras-chave: Estado do conhecimento, Formação de Professores, Pesquisas

Resumo

Este texto faz uma síntese integrativa da produção acadêmica dos pós-graduandos na área de educação entre 1999 e 2003, com base nos resumos disponíveis no Banco de Dados da CAPES. Compara, ainda, os dados das dissertações e teses defendidas no período 1990-1998 com os do período 1999-2003. Os resultados mostram que cresceu o interesse pelo tema formação de professores: nos anos 1990, eram 6% do total de trabalhos da área da educação que abordavam o tema; nos anos 2000, o percentual passa a 14%. A maior mudança observada no período foi no foco das pesquisas: de 1990 a 1998, a grande maioria dos estudos (72%) se debruçava sobre os cursos de formação inicial, já nos anos 2000, a maior incidência (41%) estava na temática da identidade e profissionalização docente. Também houve mudança na metodologia da pesquisa: nos anos 1990 predominava o microestudo, nos anos 2000, o depoimento oral. O que se manteve constante nas pesquisas dos anos 2000, em comparação com as dos anos 1990 foi o quase esquecimento de certas temáticas como a dimensão política na formação do professor; condições de trabalho, plano de carreira e sindicalização, questões de gênero e etnia e a formação do professor para atuar na educação de jovens e adultos, na educação indígena e em movimentos sociais.

Biografia do Autor

Marli E. D. A. André, PUC-SP

Professora do Programa de Estudos Pós-graduados em Educação da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP)

Referências

ANDRADE, Roberta R.M. A formação de professores nas dissertações e teses defendidas nos programas de pós-graduação em educação entre 1999 e 2003. Dissertação de Mestrado PUC SP, 2006.

ANDRÉ, Marli. A pesquisa sobre a formação de professores no Brasil – 1990-1998. Ensinar e aprender: sujeitos, saberes e pesquisa. São Paulo: editora DP&A, 2000.

CHRISTOV, Luiza Helena da Silva. Educação continuada: função essencial do coordenador pedagógico. In: PLACCO, Vera. O coordenador pedagógico e a educação continuada. São Paulo: Loyola, 2003. p. 9-12.

GATTI, Bernardete. Os professores e suas identidades: o desvelamento da heterogeneidade. Cadernos de Pesquisa Fundação Carlos Chagas, São Paulo, n. 98, 1996. p. 85 – 90.

IMBERNÓN, Francisco. Formação docente e profissional: formar-se para a mudança e incerteza. São Paulo: Editora Cortez, 2004.

LUNA, Iuri N. e BAPTISTA, Lavinia C. Identidade profissional: prazer e sofrimento no mundo do trabalho. Revista de Psicologia. n. 12, São Paulo, maio/2001. p. 39-51.

NÓVOA, Antonio. A Formação de professores e profissão docente. In: NÓVOA, A. Os professores e a sua formação. Lisboa: Publicações Don Quixote, 1992. p. 13-33.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. São Paulo: Vozes, 2002.

VENTORIM, S. A Formação do professor pesquisador na produção científica dos encontros de Didática e Prática de Ensino: 1994-2000. Tese de Doutorado, UFMG, 2005, 346 p.

WARDE, M. J. (1993) A produção discente dos programas de pós-graduação em educação no Brasil (1982-1991): avaliação e perspectivas. Porto Alegre, ANPEd/CNPq.

Publicado
09-05-2018
Seção
Artigos