O observatório da educação (OBEDUC) e sua contribuição para a formação docente na UFPI

Autores

  • Antonia Dalva França Carvalho

DOI:

https://doi.org/10.31639/rbpfp.v9i16.161
Abstract views: 389 / PDF downloads: 586

Palavras-chave:

OBEDUC, Formação Docente, Escola de Tempo Integral

Resumo

Este artigo apresenta as contribuições do Programa Observatório da Educação (OBEDUC/CAPES) realizado pelo NIPEEPP/PPGEd, da Universidade Federal do Piauí para a formação docente. O desenvolvimento do projeto “A escola de tempo integral na perspectiva da educação integral: um estudo sobre a epistemologia escolar constituída pela gestão e organização do trabalho pedagógico”, no âmbito do OBEDUC, fomentou a produção acadêmica sobre o tema, articulando a Pós-graduação, as licenciaturas e as escolas de educação básica envolvidas. Seus resultados incidem diretamente na formação de seus sujeitos, uma vez que a mesma é orientada pela pesquisa, pela prática, pela reflexão; portanto, mais sólida, crítica e reflexiva, fundada no compromisso, na autonomia e emancipação do sujeito. Nossa experiência e resultados mostram os impactos relevantes do OBEDUC para a educação e, principalmente, para a formação de professores. Por esta razão seria interessante que fosse mantido e ampliado CAPES, seja em forma de projetos individuais ou em rede.

Downloads

Não há dados estatísticos.
 PlumX Metrics

Referências

ALARCÃO, Isabel. Professores reflexivos em uma escola reflexiva. 7. ed. Coleção Questões da nossa época. v.8. São Paulo: Cortez, 2010.

AMARAL, Elaine Abrahão. Escola em tempo integral: espaço de construção ou de precarização do processo educacional? 2013. Disponível em: . Acesso em: 15 ago. 2016.

ANDRÉ, Marli Eliza D. A de. Etnografia da prática escolar. 2. ed. Campinas-SP: Papirus, 1995.

ARROYO, Miguel Gonzales. O direito ao tempo de escola. Cadernos de Pesquisa, s.l., v.01, n. 65, p. 3-10, maio. 1988.

BRASIL. Manual Operacional de Educação Integral. Brasília/DF, 2014. Disponível em: <http://portal.mec.gov. br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=15842-manual-operacional-de-educacao-integral--2014&category_slug=junho-2014-pdf&Itemid=30192>. Acesso em: 25 set. 2016.

________. Portaria normativa Interministerial nº 17, de 24 de abril de 2007. Institui o Programa Mais Educação, que visa fomentar a educação integral de crianças, adolescentes e jovens, por meio do apoio a atividades socioeducativas no contraturno escolar. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/mais_educa-cao.pdf>. Acesso em: 25 set. 2016.

________. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira - INEP. Relatório Problematização da Qualidade na Pesquisa: levantamento do custo-aluno ano em escola de educação bási-ca que oferecem condições para oferta de um ensino de qualidade. Brasília: INEP, 2004.

________. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Dispõe sobre as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 dez. 1996. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ ccivil_03/leis/L9394.htm>. Acesso em: 25 set. 2016.

DEWEY, John. Vida e educação. Tradução Anísio S. Teixeira. 10. ed. São Paulo: Melhoramentos, 2002.

CAVALIERE, Ana Maria Villela. Educação integral: uma nova identidade para a escola brasileira? Revista Educação e Sociedade, Campinas, v. 23, n. 81, p. 247-270, dez. 2002.

COSTA, Antonia Flávia Moraes da. A prática do coordenador pedagógico no contexto da Escola de Tempo Integral: desafios da educação integrada. 2015. 113 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Piauí, Teresina, 2015.

COULON, Alain. Etnometodologia. Tradução Epharim Ferreira Alves. Petrópolis-RJ: Vozes, 1995.

DELORS, Jackes. Educação: um tesouro a descobrir: relatório para a UNESCO da Comissão Internacional sobre Educação para todos. 6. ed. São Paulo: Cortez; 2001.

DOURADO, Anne Caroline Soares. A racionalidade pedagógica do professor de escola de tempo integral e sua interface com o currículo. 2016. 107f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Piauí, Teresina, 2016.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GADOTTI, Moacir. Educação integral no Brasil: inovações em processo. São Paulo: Instituto Paulo Freire, 2009.

GONÇALVES, Antonio Sérgio. Reflexões sobre educação integral e escola de tempo integral. Cadernos Cenpec, n. 2, Educação Integral, jul-dez. 2006.

HABERMAS, Jürgen. Racionalidade e comunicação. Tradução Paulo Rodrigues. Lisboa: 70/Biblioteca de Filosofia Contemporânea, 2002.

MOREIRA, Herivelto; CALEFFE, Luiz Gonzaga. Metodologia da pesquisa para o professor pesquisador. 2. ed. Rio de janeiro: Lamparina, 2008.

MORIN, Edgar. Os sete saberes necessários à educação do futuro. Tradução de Catarina Eleonora F. da Silva e Jeanne Sawaya. 12. ed. São Paulo: Cortez, 2007.

NOVOA, Antonio (Coord). As organizações escolares em análise. Lisboa: Dom Quixote, 1999.

SCHÖN, Donald. A. Educando o profissional reflexivo: um novo design para o ensino e a aprendizagem. Tradução Roberto Cataldo Costa. São Paulo: Artes Médicas, 2000.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. São Paulo: Vozes, 2002.

TEIXEIRA, Anísio. Educação para a democracia. Rio de Janeiro, Editora UFRJ, 1997.

______. Educação não é privilégio. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 1994.

Downloads

Publicado

2017-06-30

Como Citar

CARVALHO, A. D. F. O observatório da educação (OBEDUC) e sua contribuição para a formação docente na UFPI. Formação Docente – Revista Brasileira de Pesquisa sobre Formação de Professores, [S. l.], v. 9, n. 16, p. 49–64, 2017. DOI: 10.31639/rbpfp.v9i16.161. Disponível em: https://revformacaodocente.com.br/index.php/rbpfp/article/view/161. Acesso em: 17 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos