Adoecimento docente, avanço das direitas e necropolítica no Brasil

Reflexões para a formação de professores

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31639/rbpfp.v14i31.643
Abstract views: 307 / PDF downloads: 258

Resumo

Com o avanço das direitas no Brasil na última década, associado à necropolítica e biopolítica, pode-se observar entre os professores um crescente mal-estar. No presente artigo oferecemos um estudo teórico sobre esses fenômenos, começando por uma consideração histórica sobre o sucesso das direitas no Brasil e no mundo, e percorrendo conceitos e reflexões em torno das estratégias biopolíticas e necropolíticas de subjetivação. Apresentamos, igualmente, algumas reflexões sobre estratégias de resistência nos processos de formação docente com base no pensamento de Paulo Freire. As inferências obtidas a partir desse estudo apontam, entre outras questões, que a educação e a formação de professores constituem importantes espaços de disputa política na atualidade e que o corpo dos professores tem se mostrado um campo de batalha, a sofrer danos consideráveis, portanto demandando atenção e cuidado.

Downloads

Não há dados estatísticos.
 PlumX Metrics

Referências

REFERÊNCIAS

BIANCHI, B., CHALOUB, J., RANGEL, P., & WOLF, F. O. (Eds.). Democracy and Brazil: Collapse and regression. New York: Routledge/Taylor & Francis Group, 2021.

BUTLER, J. Corpos que importam: os limites discursivos do sexo. São Paulo: n-1 edições, 2019.

CHALMERS, D. A., SOUZA, M. do C. C. de & BORÓN, A. (Eds.). The Right and Democracy in Latin America. New York: Praeger, 1992.

COHEN, S. Folk devils and moral panics: The creation of the Mods and Rockers. Routledge, 2011.

FES-ILDIS (Ed.). Nueva Sociedad (254): Los rostros de la derecha en América Latina. Buenos Aires: Fundación Friedrich Ebert, 2014.

FOUCAULT, M. Vigiar e Punir: nascimento da prisão. Petrópolis: Vozes, 1987.

FOUCAULT, M. Em defesa da sociedade: curso no Collège de France (1975-1976). São Paulo: Martins Fontes, 1999.

FOUCAULT, M. Segurança, território, população: curso dado no Collège de France (1977-1978). São Paulo: Martins Fontes, 2008.

FOUCAULT, M. Nascimento da biopolítica: curso dado no Collège de France (1978-1979). São Paulo: Martins Fontes, 2008b.

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia: Saberes necessários à prática educativa. 5.ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, P. Pedagogia da Indignação: Cartas pedagógicas e outros escritos. São Paulo: UNESP, 2000.

FREIRE, P. A Educação na Cidade. 5.ed. São Paulo: Cortez, 2001.

LIMA, M. L. R. L. A memória educativa no projeto de formação de professores do Ensino Superior: o fazer é sobretudo criação. São Paulo, FaE/ Universidade de São Paulo, 1995. (Tese, Doutorado em Educação).

MBEMBE, A. Necropolítica: Biopoder, soberania, estado de exceção, política de morte. São Paulo: n-1 edições, 2018.

MUDDE, C. The far right today. Cambridge, Medford: Polity, 2019.

RAMÍREZ, F. La pendiente neoliberal: ¿Neo-fascismo, post-fascismo, autoritarismo libertario? En A. Guamán Hernández, S. Martín, & A. Aragoneses (Eds.), Neofascismo: La bestia neoliberal, 2019, p. 19-38.

SOLANO, E., & ROCHA, C. (Eds.). As direitas nas redes e nas ruas: A crise política no Brasil (1a edição). Expressão Popular, 2019.

Downloads

Publicado

2022-12-15

Como Citar

BAIONI DO NASCIMENTO, R.; DÍAZ, B. .; MARIA TEIXEIRA AMORIM, M. . Adoecimento docente, avanço das direitas e necropolítica no Brasil: Reflexões para a formação de professores. Formação Docente – Revista Brasileira de Pesquisa sobre Formação de Professores, [S. l.], v. 14, n. 31, p. 31–44, 2022. DOI: 10.31639/rbpfp.v14i31.643. Disponível em: https://revformacaodocente.com.br/index.php/rbpfp/article/view/643. Acesso em: 27 maio. 2024.