Contribuições do Programa Residência Pedagógica à formação inicial de futuros professores de línguas: aspectos da parceria colaborativa

  • Caroline Carnielli Biazolli UFSCar
  • Isadora Valencise Gregolin UFSCar
  • Joceli Catarina Stassi-Sé UFSCar
Palavras-chave: Programa Residência Pedagógica., Parceria colaborativa., Formação inicial., Professores de línguas.

Resumo

Este artigo busca analisar as contribuições do Programa Residência Pedagógica (PRP/CAPES) à formação de licenciandos em Letras de uma instituição pública do interior paulista, bem como problematizar aspectos da parceria colaborativa entre universidade e escolas que têm fomentado discussões sobre a reformulação curricular do referido curso. Para isso, discutimos as concepções e princípios que embasam a formação docente inicial nessa instituição, apresentamos a proposta da primeira edição do programa e os desafios impostos pela pandemia para o desenvolvimento da segunda edição. Concluímos que a nova configuração dos estágios remotos evidenciou a importância de momentos presenciais para a constituição de identidades docentes. Ao mesmo tempo, favoreceu o engajamento dos estagiários com o próprio processo de aprendizado da docência e possibilitou uma maior interação com os preceptores, consolidando a parceria que vem sendo construída na última década.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Educação é a base. Ensino Médio. Brasília: MEC/CONSED/UNDIME, 2018. Disponível em: . Acesso em: 31 out. 2018.
BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Educação é a base. Brasília: MEC/CONSED/UNDIME, 2017. Disponível em: . Acesso em: 28 ago. 2018.
CAPES. O Programa de Residência Pedagógica. Disponível em: . Acesso em: 13 set. 2020.
CRUZ, G. B. da. A prática docente no contexto da sala de aula frente às reformas curriculares. Educar em Revista, Curitiba, n. 29, p. 191-205, 2007. Disponível em: < https://www.scielo.br/pdf/er/n29/13.pdf>. Acesso em: 14 dez. 2019.
FARIA, E. de; SOUZA, V. L. T. de. Sobre o conceito de identidade: apropriações em estudos sobre formação de professores. Psicol. Esc. Educ., v. 15, n. 1, p. 35-42, 2011. Disponível em: . Acesso em: 20 ago. 2017.
FRANCO, M. A. R. S. Pedagogia e prática docente. São Paulo: Cortez, 2012.
FRANCO, M. A. R. S.; GILBERTO, I. J. L. A prática docente e a construção de saberes pedagógicos. Revista Teias, Rio de Janeiro, v. 12, n. 25, p. 212-224, maio/ago. 2011. Disponível em: < https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/revistateias/article/view/24177/17155>. Acesso em: 17 jan. 2019.
FOERSTE, E. Parceria na formação de professores. Revista Iberoamericana de Educación, v. 34, n. 3, p. 1-12, 31 dic. 2004. Disponível em: . Acesso em: 24 abr. 2009.
FREIRE, P. Pedagogia da Esperança: um reencontro com a Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.
FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.
GAUTHIER et al. Por uma teoria da Pedagogia: Pesquisas Contemporâneas sobre o saber docente. Ijuí: Unijuí, 1998.
GIROUX, H. Pedagogia crítica como projeto de profecia exemplar: cultura e política no novo milênio. In: IMBERNÓN, F. (Org.) A educação no século XXI: os desafios do futuro imediato. Porto Alegre: Artmed, 2000. p. 65-75.
IMBERNÓN, F. Formação docente e profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. São Paulo, Cortez.
LIBERALI, F. C. Construir o inédito viável em meio a crise do coronavírus – lições que aprendemos, vivemos e propomos. In: LIBERALI, F. C. et al. (Orgs.). Educação em tempo de pandemia: brincando com um mundo possível. Campinas: Pontes Editores, 2020. p. 13-21.
MARCELO, C. A identidade docente: constantes e desafios. Form. Doc., Belo Horizonte, v. 01, n. 01, p. 109-131, ago./dez. 2009. Disponível em: . Acesso em: 25 maio 2010.
NÓVOA, A. Professores: imagens do futuro presente. Lisboa: Educa, 2009.
PIMENTA, S. G.; LIMA, M. S. L. Estágio e docência. São Paulo: Cortez, 2004.
RODRIGUES, M. A. Quatro diferentes visões sobre o estágio supervisionado. Revista Brasileira de Educação, Belo Horizonte, v. 18, n. 55, p. 5-24, out.-dez. 2013. Disponível em: . Acesso em: 18 nov. 2014.
ROJO, R. Pedagogia dos multiletramentos: diversidade cultural e de linguagens na escola. In: ROJO, R; MOURA, E. (Orgs.). Multiletramentos na escola. São Paulo: Parábola, 2012. p. 11-31.
ROMANOWSKI, J. P.; MARTINS, P. L. O. Formação continuada: contribuições para o desenvolvimento profissional dos professores. Rev. Diálogo Educ., Curitiba, v. 10, n. 30, p. 285-300, maio/ago. 2010. Disponível em: . Acesso em: 10 jul. 2016.
SACRISTÁN, J.G. O currículo: uma reflexão sobre a prática. São Paulo: Penso editora, 2017.
SANTOS, O. J. Pedagogia dos conflitos sociais. Campinas, SP: Papirus, 1992.
SAVIANI, D. Formação de professores: aspectos históricos e teóricos do problema no contexto brasileiro. Revista Brasileira de Educação, Belo Horizonte, v. 14, n. 40, p. 143-155, jan./abr. 2009. Disponível em: . Acesso em: 12 jan. 2020.
TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2002.
TARDIF, M. Saberes profissionais dos professores e conhecimentos universitários: elementos para uma epistemologia da prática profissional dos professores e suas conseqüências em relação à formação para o magistério. Revista Brasileira de Educação, Belo Horizonte, n. 13. p. 5-24, jan./fev./mar./abr. 2000. Disponível em: . Acesso em: 21 jan. 2001.
Publicado
15-04-2021
Como Citar
CARNIELLI BIAZOLLI, C.; VALENCISE GREGOLIN, I.; CATARINA STASSI-SÉ, J. Contribuições do Programa Residência Pedagógica à formação inicial de futuros professores de línguas: aspectos da parceria colaborativa. Formação Docente – Revista Brasileira de Pesquisa sobre Formação de Professores, v. 13, n. 26, p. 155-170, 15 abr. 2021.