A pesquisa em Educação e o campo da formação de educadores:

diálogos com Marli André

  • Bernardete Angelina Gatti Fundação Carlos Chaga

Resumo

No artigo são tratadas questões conceituais sobre aspectos da delimitação de campo de investigação científica e também questões relativas à pesquisa em formação de educadores. Esses temas foram objeto de intensas trocas com Marli André durante nossas vivências acadêmicas e parcerias em pesquisas. São tratados aspectos relativos à validade e consistência da produção científica, discutindo a variedade de possibilidades advindas com o emprego dos métodos qualitativos na pesquisa em educação e sobre a formação de professores, como também as preocupações sociais e educacionais suscitadas pela maior aproximação pesquisador-pesquisado, pesquisador-contexto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia. 1. ed. São Paulo: Editora 34, v.1, 1995.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia. 1. ed. São Paulo: Editora 34, v.2, 1997.

GATTI, B. A. Algumas considerações sobre procedimentos metodológicos nas pesquisas educacionais. Eccos Revista Científica, UNINOVE, São Paulo, N. 1, 1999, p.63 – 79.
GATTI, B.A.; ANDRÉ, M. E. D. A. A relevância dos métodos de pesquisa qualitativa em Educação no Brasil. In: WELLER, W.; PFAFF, N. (orgs). Metodologias da Pesquisa Qualitativa em Educação. Petrópolis, R. J: Vozes. p.29-38, 2010.
NEUSCHARANK, A; DALMASO, A. C.; OLIVEIRA, M.O. Agenciamento cartografia-garimpagem: um modo de produzir pesquisa em educação. Educação, Porto Alegre, v. 42, n. 1, p. 3-11, jan.-abr. 2019.
OLIVEIRA, I.B. Aprendendo a ler/ver/ouvir as práticas das professoras no cotidiano escolar. In: Seminário Internacional III, Editora D. P & A, 2005, 1cd-rom.
OLIVEIRA, I.B., ALVES, N. A importância do diálogo entre as múltiplas formas de fazer pesquisa em Educação: sobre as relações possíveis entre práticas e teorias. Educação & Linguagem, UMESP, v.9, n.14, São Bernardo do Campo, 2006, p. 59-89.
PASSOS, E.; KASTRUP, V.; ESCÓSSIA, L. (org.). Pistas do método da cartografia: pesquisa-intervenção e produção de subjetividade. 4. ed., Ed. Sulina, Porto Alegre: 2015.
PESCE, M.K.; ANDRÉ, M.E.D.A. Formação do professor pesquisador na perspectiva do professor formador. Formação Docente: Revista Brasileira de Pesquisa sobre Formação Docente. Belo Horizonte, v. 04, n. 07, jul./dez. 2012, p. 39-50. Disponível em http://formacaodocente.autenticaeditora.com.br Acesso: 04/09/2021.
SANTOS, B.de S. A crítica da razão indolente: contra o desperdício da experiência. Cortez Editora, São Paulo, 2000.
SCHURMANS, M.-N. Les sciences de l’éducation : fantôme, agrégat, prototype ou idéal-type? In : Hofstetter, R.,Schneuwly, B. (ed.) Le pari des sciences de l’éducation. Raisons éducatives, 98 : 1-2, Paris-Bruxelles, De Boeck Université, 1998.
Publicado
2021-12-01
Como Citar
GATTI, B. A. A pesquisa em Educação e o campo da formação de educadores: : diálogos com Marli André. Formação Docente – Revista Brasileira de Pesquisa sobre Formação de Professores, v. 13, n. 28, p. 47-56, 1 dez. 2021.