O estágio não obrigatório remunerado na formação de professores

Elementos históricos e legais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31639/rbpfp.v14i31.604
Abstract views: 207 / PDF downloads: 164

Palavras-chave:

Formação de professores, estágio não obrigatório, trabalho

Resumo

O objetivo deste trabalho é apresentar a constituição histórica e legal do estágio na formação dos professores. Elege como ponto específico o estágio não obrigatório remunerado, entendido como componente extracurricular nos cursos de graduação e com forte incidência na prática social. Destaca a constituição dos estágios no contexto da industrialização e modernização da sociedade brasileira e os principais marcos legais resultantes das reformas educacionais. Com base em pesquisa documental, utilizando-se da abordagem crítico-dialética, analisa os dispositivos legais relativos aos estágios e a relação com a formação e trabalho docente destacando a dimensão do estágio como ato educativo e como trabalho. Evidencia que o estágio não obrigatório remunerado, enquanto dimensão teórico-prática, é fundamental para o processo formativo-educativo, no entanto, pode se constituir em exploração da força de trabalho dos estagiários quando não observados os requisitos necessários para acompanhamento, planejamento e desenvolvimento das atividades relacionadas ao estágio nas instituições de ensino.

Downloads

Não há dados estatísticos.
 PlumX Metrics

Downloads

Publicado

2022-12-15

Como Citar

SOUSA VARGAS PRETTO, M. E.; PORTELINHA, Ângela M. . O estágio não obrigatório remunerado na formação de professores: Elementos históricos e legais. Formação Docente – Revista Brasileira de Pesquisa sobre Formação de Professores, [S. l.], v. 14, n. 31, p. 183–198, 2022. DOI: 10.31639/rbpfp.v14i31.604. Disponível em: https://revformacaodocente.com.br/index.php/rbpfp/article/view/604. Acesso em: 17 abr. 2024.