PSICOLOGIA E FORMAÇÃO DOCENTE: UMA ANÁLISE DA BNC-FORMAÇÃO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31639/rbpfp.v15i34.701
Abstract views: 209 / PDF downloads: 182

Palavras-chave:

Psicologia histórico-cultural, Formação de professores, BNC-formação, Aprendizagem e desenvolvimento humanos

Resumo

Pautando-se nos pressupostos teórico-metodológicos da psicologia histórico-cultural, o presente artigo assume como objeto de análise a BNC-formação e apresenta como objetivo problematizar as concepções psicológicas sobre aprendizagem e desenvolvimento expressas e implícitas nesse documento. Inspiradas na abordagem da análise documental e partindo de uma perspectiva ensaística, as reflexões estão organizadas a partir do seguinte caminho argumentativo: uma análise histórica acerca da presença da psicologia na formação de professores no Brasil; a contextualização da BNC-Formação a partir da publicação da BNCC (Base Nacional Comum Curricular); diálogos entre as concepções psicológicas que subjazem a BNC-Formação e os pressupostos da psicologia histórico-cultural. As análises apresentadas evidenciam que as concepções de aprendizagem e desenvolvimento expressas nesse documento – assim como os projetos de sociedade, de educação e de ensino nele implícitos –, servem ao esvaziamento dos potenciais humanizadores e críticos da educação, reforçando o lugar histórico que a psicologia tem ocupado nesse campo no sentido de culpabilizar indivíduos por problemas coletivos e de ordem político-social.

Downloads

Não há dados estatísticos.
 PlumX Metrics

Referências

ANTUNES, M. A. M. Psicologia escolar e educacional: história, compromissos e perspectivas. Psicol. Esc. Educ. (Impr.), São Paulo, v.12, n.2, 2008. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-85572008000200020

BRASIL. Ministério da Educação. CNE/CP n. 1, de 18 de fevereiro de 2002. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rcp01_02.pdf. Acesso em: 29 mar 2023.

BRASIL. Ministério da Educação. CNE/CP n. 2, de 1 de julho 2015. Disponível em: Acesso em: http://portal.mec.gov.br/docman/agosto-2017-pdf/70431-res-cne-cp-002-03072015-pdf/file. 23 mar 2023.

BRASIL. Ministério da Educação. Resolução CNE/CP n. 2, de 22 de dezembro de 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/historico/RESOLUCAOCNE_CP222DEDEZEMBRODE2017.pdf. Acesso em: 23 mar 2023.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP n. 2, de 20 de dezembro de 2019. Disponível em http://portal.mec.gov.br/docman/dezembro-2019-pdf/135951-rcp002-19/file. Acesso em: Acesso em: 14 out 2022.

CALADO, S. dos S.; FERREIRA, S. C. dos R. Análise de documentos: método de recolha e análise de dados. Metodologia da Investigação I. DEFCUL. 2004/2005. Disponível em: https://silo.tips/download/analise-de-documentos-metodo-de-recolha-e-analise-de-dados. Acesso em: 05 jan 2024.

CARA, D. O que Paulo Freire e Anísio Teixeira diriam sobre a BNCC? In.: CÁSSIO, F.; CATELLI JR. R. (org.). Educação é a base? 23 educadores discutem a BNCC. São Paulo: Ação Educativa, 2019.

CÁSSIO, F. Existe vida fora da BNCC? In.: CÁSSIO, F.; CATELLI JR. R. (org.). Educação é a base? 23 educadores discutem a BNCC. São Paulo: Ação Educativa, 2019a.

CÁSSIO, F. L. O encontro entre a BNCC e os professores de química, ou centralização curricular e a falácia do professor malformado. In.: CÁSSIO, F.; CATELLI JR. R. (org.). Educação é a base? 23 educadores discutem a BNCC. São Paulo: Ação Educativa, 2019b.

COSTA, C. C. D.; GONÇALVES, S. da R. V. O Processo de construção da BCN-Formação a partir de seu contexto de influência. Form. Doc., Belo Horizonte, v. 14, n. 29, 2022. DOI: https://doi.org/10.31639/rbpfp.v14i29.566

DAVIDOV, V. V.; MÁRKOVA, A. La concepcion de la actividad de estúdio de los escolares. In.: DAVIDOV, V. V.; SHUARE, M. (Orgs.). La psicología evolutiva y pedagogía en la URSS (Antologia). Moscou: Progreso, 1987.

DIAS-DA-SILVA, M. H. G. F. Política de formação de professores no Brasil: as ciladas da reestruturação das licenciaturas. Perspectiva, Florianópolis, v. 23, n. 02, 2005.

EVANGELISTA, O.; FIERA, L.; TITTON, M. Diretrizes para formação docente é aprovada na calada do dia: mais mercado. Universidade à esquerda: Jornal Socialista e Independente, Florianópolis, 14 de novembro de 2019. Debate. Disponível em: https://universidadeaesquerda.com.br/debate-diretrizes-para-formacao-docente-e-aprovada-na-calada-do-dia-mais-mercado/. Acesso em: 26 out. 2022.

FREITAS, H. C. L. Formação de professores no Brasil: 10 anos de embate entre projetos de formação. Educ. Soc., Campinas, v. 23, n. 80, 2002. DOI: https://doi.org/10.1590/S0101-73302002008000009

FREITAS, H. C. L. de. A (nova) política de formação de professores: a prioridade postergada. Educ. Soc., Campinas, v. 28, n. 100 - Especial, 2007. DOI: https://doi.org/10.1590/S0101-73302007000300026

GATTI, B. A. Sobre a formação de professores para o 1º e 2º graus. Em aberto, Brasília, v. 6, n. 34, 1987.

GATTI, B. A. A formação dos docentes: o confronto necessário professor x academia. Cad. Pesq., São Paulo, n. 81, 1992.

GONÇALVES, C. C.; ANDRADE, F. C. B. de. Quando um cego guia outros: exame crítico da apropriação da psicologia pela BNCC e BNC-formação. Revista Educare, João Pessoa, v. 7, 2022.

LÉON, G. F. Un viejo debate y un nuevo punto de vista acerca de la enseñanza de habilidades y el desarrollo de la personalidad. Revista Cubana de Psicología, Habana, v. 10, n. 2-3,1993.

MALANCHEN, J.; MATOS, N. da S. D. de; ORSO, P. J. Apresentação. In.: MALANCHEN, J.; MATOS, N. da S. D. de; ORSO, P. J. A Pedagogia Histórico-Crítica, as Políticas Educacionais e a Base Nacional Comum Curricular. São Paulo: Editora Autores Associados, 2020.

MARSIGLIA, A. C. G.; MARTINS, L. M. Contribuições da pedagogia histórico-crítica para a formação de professores. Germinal: Marxismo e Educação em Debate, Salvador, v. 5, n.2, 2013. DOI: https://doi.org/10.9771/gmed.v5i2.9702

MARTINS, L. M. Da formação humana em Marx à crítica da pedagogia das competências. In.: DUARTE, N. (org.). Crítica ao fetichismo da individualidade. Campinas: Autores Associados, 2004.

MAUÉS, O. C. Reformas internacionais da educação e formação de professores. Cad. Pesq., São Paulo, n. 118, 2003. DOI: https://doi.org/10.1590/S0100-15742003000100005

MENEGHETTI, F. K. O que é um ensaio-teórico? Revista de Administração Contemporânea, Maringá, v. 15, n. 2, 2011. DOI: https://doi.org/10.1590/S1415-65552011000200010

MERLIN, V. S. What and how to teach future teachers about psychology. Voprosy psikhologii, Moscou, n. 10, v. 6, 1964.

MÉSZÁROS, I. A educação para além do capital. São Paulo: Boitempo, 2008.

MORETTI, V. D.; MOURA, M. O. A Formação Docente na Perspectiva Histórico-Cultural: em busca da superação da competência individual. Psicologia Política, Florianópolis, v. 10, n. 20, 2010.

PEREIRA, A. P.; MAGALHÃES, G. M.; PASQUALINI, J. C. O estudo concreto do desenvolvimento da infância e da adolescência e suas contribuições para a educação. Interação em psicologia, v. 24, n. 03, 2020. DOI: https://doi.org/10.5380/riep.v24i3.72810

PRESTES, Z. R. Quando não é quase a mesma coisa: análise de traduções de Lev Seminiovitch Vigotski no Brasil – Repercussões no campo educacional. Tese (Doutorado em Educação). Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade de Brasília, Brasília, 2010.

RUIZ, J. de S. Base Nacional Comum para a formação continuada de professores da educação básica: uma análise crítica. Revista GESTO-DEBATE, Campo Grande, v. 22, n.14, 2022.

SCHEIBE, L. A Formação Pedagógica do Professor Licenciado - Contexto Histórico. Perspectiva, Florianópolis, v. 1, n. 1, 1983.

SGANDERLA, A. P.; CARVALHO, D. C. A psicologia e a constituição do campo educacional brasileiro. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 15, n. 1, 2010. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-73722010000100012

SILVA, M. M. da. Crítica à formação de competências socioemocionais na escola. Rev. HISTEDBR On-line, Campinas, v.22, 2022. DOI: https://doi.org/10.20396/rho.v22i00.8659871

TAFFAREL, C. N. Z. Base Nacional Comum para formação de professores da educação básica (Bnc-formação): Ocultar, silenciar, inverter para o capital dominar. Formação em Movimento, Rio de Janeiro, v.1, n.2, 2019.

TANURI, L. M. História da formação de professores. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 14, 2000.

VIGOTSKI, L. S. Obras escogidas III – problemas del desarrollo de la psique. Madrid: Machado Grupo de distribución, 1995.

VIGOTSKI, L. S. A construção do pensamento e da linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

VIGOTSKI, L. S. Psicologia Pedagógica. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2010.

VIGOTSKI, L. S. O problema da instrução e do desenvolvimento mental na idade escolar. In.: VIGOTSKI, L. S. Psicologia, educação e desenvolvimento: escritos de L. S. Vigotski. PRESTES, Z.; TUNES, E. (org. e trad.). São Paulo: Expressão Popular, 2021.

VITAL, S. C. C.; URT, S. da C. BNCC e as competências socioemocionais: uma análise crítica às propostas de formação continuada. Revista Teias, Rio de Janeiro, v. 23, n. 71, 2022. DOI: https://doi.org/10.12957/teias.2022.70252

Downloads

Publicado

2024-02-09

Como Citar

LIMA, C. P. de. PSICOLOGIA E FORMAÇÃO DOCENTE: UMA ANÁLISE DA BNC-FORMAÇÃO. Formação Docente – Revista Brasileira de Pesquisa sobre Formação de Professores, [S. l.], v. 15, n. 34, p. 16–34, 2024. DOI: 10.31639/rbpfp.v15i34.701. Disponível em: https://revformacaodocente.com.br/index.php/rbpfp/article/view/701. Acesso em: 22 jun. 2024.