Formação e prática docente: sobre a visibilidade das professoras lésbicas.

  • Cláudia Vianna USP
  • Tatiana Carvalho
Palavras-chave: gênero; educação; formação docente; professoras lésbicas

Resumo

Este artigo traz reflexões que foram aprofundadas em uma pesquisa qualitativa sobre professoras lésbicas na Educação Básica. De modo geral, a questão que se coloca é: quais são os distintos significados de ser uma professora lésbica na Educação Básica, tendo em vista o tabu que isso ainda representa no meio escolar e as necessidades de uma educação de respeito pela diversidade? Esta consideração é fundamental, especialmente no atual momento vivido em nosso país, em que essa construção legítima de existência está sob ataque.

Além disso, problematizar a importância dessa questão na própria formação docente, sendo a visibilidade ou invisibilidade construída por essas professoras sempre pedagógica, ajuda a erigir uma série de conhecimentos e impressões sobre a diversidade sexual.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALTMANN, H. Diversidade sexual e educação: desafios para a formação docente. Sexualidad, salud y sociedad. Revista latinoamericana, n. 13, p. 69-82, 2013.
BRITZMAN, D. P. O que é esta coisa chamada amor? Revista Educação & Realidade, v. 21, n.1, 1996.
DEJEAN, W.. Out gay and lesbian K-12 educators: a study in radical honesty. Journal of Gay & Lesbian Issues in Education, v. 4, n. 4, p. 59-72, 2008.
ENDO, H.; REECE-MILLER, P. C.; SANTAVICCA, N. Surviving the trenches: a narrative inquiry into queer teachers' experiences and identity. Teaching and teacher education, v.26, p.1023-1030, 2010.
FERFOLJA, T. State of the Field review: stories so far: an overview of the research on lesbian teachers. Sexualities, v. 12, n. 3, p. 378-396, 2009.
HARDIE, A. Lesbian teachers and students: issue and dilemmas of being “out” in primary school. Sex Education, v. 12, n. 3, p.273-282, 2012.
JACKSON, J. M. Removing the masks: considerations by gay ans lesbian teachers when negotiating the closet door. Journal of Poverty, v. 10, n. 2, p. 47-52, 2006.
KISSEN, R. M. Voices from the glass closet: lesbian and gay teachers talk about their lives. In: The Annual Meeting Of The American Educational Research Association, 1993.
MACIEL, P.; GARCIA, M. M. Os femininos no magistério: professoras lésbicas nas escolas. Currículo sem Fronteiras, v. 14, n. 3, p. 160-180, 2014.
MCKENZIE-BASSANT, C. Lesbian teachers walking the line between inclusion and exposure. International Journal of Art & Design Education, v. 26, n. 1, p. 54–62, 2007.
MEIRELES, A. C. Docentes sexuadas: mulheres lésbicas e prática docente. In: Congresso Internacional de Estudos Sobre d Diversidade Sexual e de Genêro da Associação Brasileira da Homocultura, 6., 2012a.
MELILLO, S. Heteronormativity and teaching: a phenomenological study of lesbian teachers. In: The Annual Meeting of the American EducationalResearch Association, Chicago, 2003.
MOLINA, L.; FIGUEIRÓ, M. N. D. Professores homossexuais: suas vivências frente a comunidade escolar. Revista Iberoamericana de Estudos em Educação, v. 7, n. 2, p. 58-77, 2012.
NIXON, D. In Praise of Diversity: why schools should seek gay and lesbian teachers, and why it's still difficult. Forum, v. 48, n. 3, p. 275-282, 2006.
RESENBRIK, C. W. What difference does it make? The story of a lesbian teacher. Harvard Educational Review, v. 66, n. 2, p. 257-271, 1996.
RUDOE, Naomi. Lesbian teachers' identity, power and the public/private boundary. Sex Education, v.10, n.1, p.23-36, 2010.
SANTOS, C. F. dos; SANTOS, R. M. R. dos. Desafios na formação docente em diversidade sexual. Educação: Teoria e Prática, v. 29, n. 60, p. 140-161, 2019.
SOARES, Z. P.; MONTEIRO, S. S. Formação de professores/as em gênero e sexualidade: possibilidades e desafios. Educar em revista, v. 35, n. 73, p. 287-305, 2019.
Publicado
07-08-2020
Como Citar
VIANNA, C.; CARAVALHO, T. Formação e prática docente: sobre a visibilidade das professoras lésbicas. . Formação Docente – Revista Brasileira de Pesquisa sobre Formação de Professores, v. 12, n. 24, p. 77-90, 7 ago. 2020.