Residência pedagógica em um instituto federal: narrativa dos (des) caminhos formativos

  • Rosenilde Paniago Instituto Federal Goiano
  • Patrícia Gouvêa Nunes Instituto Federal Goiano
  • Celso Martins Belisário

Resumo

Este artigo apresenta resultados de uma investigação, cujo foco foram experiências formativas do Programa Residência Pedagógica (PRP)–Edital nº 6/2018, em um Instituto Federal de Educação. Objetivou-se identificar as experiências de aprendizagens da docência e analisar a possibilidade da formação para a investigação como contributiva para a práxis. Nesta pesquisa de natureza qualitativa, adotaram-se, como procedimentos de recolha de dados, narrativas dos estudantes, registradas em portfólio e análise documental. Os resultados indicaram como possibilidades de aprendizagens da docência, a interação com os alunos, a participação em eventos e o trabalho com projetos. Contudo, apesar do esforço da instituição em delinear, no projeto institucional e subprojetos, os princípios de uma formação na e para a investigação, a alta carga horária à regência a cumprir estipulada no edital do programa, fragilizou o processo formativo, sendo priorizadas mais atividades práticas em sala de aula em detrimento ao exercício da problematização, reflexão e investigação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patrícia Gouvêa Nunes, Instituto Federal Goiano

Doutoranda em Ciências da Educação, na especialidade de Sociologia da Educação e Política Educativa pela Universidade do Minho (UMinho), Braga, Portugal. Mestra em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás - PUC -GO (2013), na linha de pesquisa Estado, Políticas e Instituições Educacionais. Possui especialização em Gênero e Diversidade na Escola pela UFG - Campus Catalão-Go (2012) e em Ensino de Filosofia e Sociologia pela Faculdade Católica de Anápolis-GO (2007).Graduada em Pedagogia pela Universidade de Rio Verde - UniRV (2004). Atualmente é professora do Instituto Federal Goiano, Campus Rio Verde-GO, atuando principalmente na formação de professores, dos cursos de Licenciatura do campus. Atuou como professora das séries inicias da Educação Básica por 13 anos, especificamente na Educação Infantil e Alfabetização. Faz parte do grupo de pesquisa EducAção do Instituto Federal Goiano. Coordena o Núcleo de Estudos Afro-brasileiros e Indígenas (NEABI), do IFGoiano, Campus Rio Verde. É membro do Comitê Interno de Iniciação Cientifica e Tecnológica, IF Goiano-Campus Rio Verde. Responsável pelo Laboratório Interdisciplinar de formação de Educadores (LIFE). Coordena o Centro de EducAção Rosa de Saberes, que desenvolve atividades e projetos de ensino, pesquisa e extensão no campus, com foco na formação de professores. É coordenadora do Programa Residência Pedagógica, subprojeto Biologia, IFGoiano, Campus Rio Verde. Esteve como supervisora do PIBID de 2015 a 2016, IFGoiano, Campus Ceres. Atua com ênfase nos seguintes temas: políticas educacionais, formação de professores (as), estágio supervisionado, relações sociais e de gênero, relações étnico-raciais, diversidade, filosofia, metodologia científica, avaliação e didática.

Celso Martins Belisário

Possui graduação em Química (Licenciatura) pela Universidade Federal de Goiás (2003), mestrado em Química pela Universidade Federal de Goiás (2007) e doutorado em Ciências pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (2014). Foi professor da Rede Estadual de Educação de Goiás, Professor convidado da Universidade Católica de Goiás, Professor Substituto do IFG Campus Goiânia. Atualmente é professor efetivo (DE) da Área de Química do IFGoiano Campus Rio Verde e Docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Tecnologia de Alimentos, com projetos relacionados a métodos de conservação de frutos do Cerrado, avaliação do potencial antioxidante, determinação de fenólicos totais, ácidos orgânicos, carotenoides e açúcares. Foi Coordenador dos cursos Técnico em Química e Licenciatura em Química de 2009 a 2015 e Coordenador do curso de Engenharia Ambiental de 2017 a 2019. Coordenador do Sub-projeto de Química do PIBID/Capes do IFGoiano Campus Rio Verde de 2011 a 2018. Atua também em grupos de pesquisas na área de formação de professores, através de projetos de construção de materiais didáticos e da coordenação da Área de Química do Programa Residência Pedagógica, iniciado em agosto de 2018, e atualmente coordenador do Curso de Licenciatura em Química do Campus Rio Verde do IF Goiano.

Referências

ALARCÃO, I. Professores reflexivos em uma escola reflexiva. (2ª ed). São Paulo: Cortez, 2011.

ABRAHÃO, M. H. M. B. Fontes orais, escritas e (áudio)visuais em pesquisa (auto)biográfica: palavra dada, escuta (atenta), compreensão cênica. O Studium e o punctum possíveis. In Abrahão, M. H. M.B.; Bragança, I. F. S.; Araújo, M. S. (Orgs.). Pesquisa auto (biográfica): fontes e questões. Curitiba: CRV, p.57-78, 2014.

ANPED, A Política de Formação de Professores no Brasil de 2018: uma análise dos editais CAPES de Residência Pedagógica e PIBID. Documento apresentado em audiência pública da Comissão Bicameral do CNE (Conselho Nacional de Educação) em o9 de abril de 2018. Acesso em: http://www.anped.org.br/sites/default/files/images/formacaoprofessores_anped_final.pdf

AUTORES. Educação e Realidade, 2017.

AUTORES. Educação em Revista, 2018.

BRASIL. Edital CAPES 06/2018 que dispõe sobre a Residência Pedagógica. Disponível em https://www.capes.gov.br/images/stories/download/editais/01032018-Edital-6-2018-residencia-pedagogica.pdf. Acesso em 20 de maio de 2018.

______. Senado Federal. Projeto de Lei Nº 227, de 2007 sobre a “residência educacional a professores da educação básica”, de autoria do Senador Marco Marciel. Disponível em: < http://www25.senado.leg.br/web/atividade/materias/-/materia/80855>. Acesso em: 15/11/2019.

______. Senado Federal. Projeto de Lei Nº 06, de 2014 que dispõe sobre a “residência pedagógica do Senador Ricardo Ferraçõ que altera a Lei 9394/96. Disponível em: https://www25.senado.leg.br/web/atividade/materias/-/materia/115998. Acesso em: 15/11/2019.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. 5 ed. Lisboa: Edições 70, Lda. 2013.

FARIA, Juliana Batista; Diniz-PEREIRA Júlio Emílio. Residência pedagógica: afinal, o que é isso?. R. Educ. Públ. Cuiabá v. 28 n. 68 p. 333-356 maio/ago. 2019.

FLORES, M. A. Desafios atuais e perspectivas futuras na formação de professores: um olhar internacional. In M. A. Flores (Org.), Formação e desenvolvimento profissional de professores: contributos internacionais. Coimbra: Almedina, p.217-238, 2014.

PIMENTA, S. G.; LIMA, M. S. L. Estágio e docência. 8 ed. São Paulo: Cortez, 2017.

SILVA, K A C P; CRUZ, S P. A residência pedagógica na formação de professores: história, hegemonia e resistências. Momento: diálogos em educação. E-ISSN 2316-3100, v. 27, n. 2, p. 227-247, mai./ago, 2018.

SILVESTRE, A. Magali. Práticas de estágio no Programa Residência Pedagógica da UNIFESP/Guarulhos. In: ANDRÉ, Marli (Org.). Práticas Inovadoras na formação de professores. Campinas, SP: Papirus, 2016, p.147-164.
Publicado
22-12-2020
Como Citar
PANIAGO, R.; NUNES, P. G.; BELISÁRIO, C. M. Residência pedagógica em um instituto federal: narrativa dos (des) caminhos formativos. Formação Docente – Revista Brasileira de Pesquisa sobre Formação de Professores, v. 12, n. 25, p. 67-80, 22 dez. 2020.