“O início é até meio assustador (...)!”: Inquietações docentes pela ótica de professoras iniciantes

  • Ingrid Cristina Barbosa Fernandes UFRJ
  • Giseli Barreto da Cruz UFRJ
Palavras-chave: Inserção profissional docente. Inquietações docentes. Desenvolvimento profissional docente.

Resumo

O artigo trata da inserção profissional docente, tendo por objetivo compreender como inquietações de professores alfabetizadores afetam a sua docência no transcorrer da inserção profissional. Orientado pela pesquisa narrativa, articula as vozes de seis docentes, reconhecidas a partir dos dados obtidos com a aplicação de um questionário aos egressos de um curso de Pedagogia de uma instituição universitária. As narrativas foram construídas com base em entrevista, referenciadas por Galvão e Passeggi, Souza & Vicentini, e discutidas com o apoio de autores que tratam do desenvolvimento profissional docente, dentre eles: Alarcão & Roldão; Marcelo e Cochran-Smith. As constatações indicam, de um lado, que as inquietações se relacionam com a complexidade de lidar com a heterogeneidade das turmas, a resolução de conflitos e as cobranças pessoais; de outro, a potência da troca entre os pares como forma de enfrentamento das inquietações, que apesar de interpelar, não paralisa as docentes.

 

Palavras-chave: Inserção profissional docente. Inquietações docentes. Desenvolvimento profissional docente.

 

 

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALARCÃO, I.; ROLDÃO, M. C. Um passo importante no Desenvolvimento profissional dos Professores: o ano de indução. Formação Docente. Revista Brasileira de Pesquisa de Formação de Professores, Belo Horizonte, v. 06, n. 11, p. 109-126, ago./dez. 2014.

ANDRÉ, Marli. Inserção profissional de egressos de programas de iniciação à docência.
Relatório de Pesquisa Interinstitucional. Brasília: CNPq, 2018.

COCHRAN-SMITH, M; LYTLE, S.L. Relationships of knowledge and practice: teacher learning in communities. Review of Research in Education, London: Sage, n. 24, p. 249-305, 1999.

COCHRAN-SMITH, M. Aprendizagem e desaprendizagem: a formação de professores educadores. Teaching e TeacherEducation, v. 19, p. 5-28, 2003.

______. Um conto de duas professoras: aprendendo a ensinar com o tempo. Kappa Delta Pi Record, v. 48, p. 108-122, 2012.

GALVÃO, C. Narrativas em Educação. Ciência & Educação, v. 11, n. 2, p. 327-345, 2005.

HUBERMAN, M. O ciclo de vida profissional dos professores. In: NÓVOA, António (Coord.). Vidas de professores. Porto/Portugal: Porto, p. 31-78, 1995.

LIMA, E. E. et al. Sobrevivendo ao início da carreira docente e permanecendo nela: Como? Por quê? O que dizem alguns estudos. Educação e linguagem, São Paulo, v. 10, n.15, p. 138-160. jan./jun. 2007.

MARCELO, C. Formação de professores – para uma mudança educativa. Porto: Porto Editora. 1999.

MARCELO, C. Desenvolvimento profissional docente: passado e futuro. Sísifo: Revista de Ciências da Educação, n. 8, p. 7-22, jan./abr. 2009.

ROLDÃO, Maria do Céu. Função docente: natureza e construção do conhecimento profissional. Revista Brasileira de Educação. v. 12, n. 34, jan./abr. 2007.

TARDIF, M. A profissionalização do ensino passados trinta anos: dois passos para a frente, três para trás. Educação & Sociedade. Campinas: CEDES, v. 34, n. 123, p. 551-571, abr.-jun. 2013. Disponível em: . Acesso: 23 de maio de 2019.

TARDIF, M.; RAYMOND, D. Saberes, tempo e aprendizagem do trabalho no magistério. Educação & Sociedade. Ano XXI, n. 7
Publicado
15-04-2021
Como Citar
BARBOSA FERNANDES, I. C.; BARRETO DA CRUZ, G. “O início é até meio assustador (...)!”: Inquietações docentes pela ótica de professoras iniciantes. Formação Docente – Revista Brasileira de Pesquisa sobre Formação de Professores, v. 13, n. 26, p. 31-44, 15 abr. 2021.