O desenvolvimento profissional docente em diálogo com as concepções teóricas de pierre bourdieu: a constituição do habitus profissional no ensino de história

Autores

  • Leonardo Lopes de FREITAS Universidade Federal de Alfenas https://orcid.org/0000-0001-7447-3669
  • André Luiz Sena MARIANO UNIFAL - Universidade Federal de Alfenas

DOI:

https://doi.org/10.31639/rbpfp.v14i29.504
Abstract views: 127 / PDF downloads: 131

Palavras-chave:

Desenvolvimento Profissional Docente, habitus, Ensino de história

Resumo

Este artigo objetiva compreender aspectos do desenvolvimento profissional docente tentando relacioná-lo com ao conceito de habitus proposto por Bourdieu. Participaram do estudo professoras graduadas em Pedagogia e atuantes no ensino de História nos anos iniciais do ensino fundamental. O texto procura explorar os condicionantes associados as escolhas, experiências e costumes que cercam o cotidiano escolar e formativo das participantes da pesquisa. Procura ressaltar os elementos estruturantes da prática pedagógica que vão para além do capital cultural institucionalizado, tentando mostrar que, apesar de as professoras estarem submetidas a um mesmo percurso formativo, os determinantes da prática acabam obedecendo a uma dimensão subjetiva, ou seja, cada uma apresenta fontes e formas próprias para a formação do seu habitus profissional e para a organização de sua prática profissional.

Downloads

Não há dados estatísticos.
 PlumX Metrics

Referências

ABUD, K.M. O ensino de História nos anos iniciais: como se pensa, como se faz. Revista Antíses, v. 5, n. 10, p. 555-565, jul./dez. 2012.

BOURDIEU, P. A economia das trocas simbólicas. São Paulo: Perspectiva, 2007a.

BOURDIEU, P. Escritos de Educação. Organizadores: Maria Alice Nogueira e Afranio Catani. Petrópolis-RJ: Vozes, 2007b.

CARLINDO, E.P.. Tornar-se professora: o capital cultural como esteio explicativo para o sucesso docente. Dissertação (Mestrado em Educação Escolar) Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências e Letras – campus de Araraquara, 2009.

CATANI, A. M. ; CATANI, D.B. ; PEREIRA, G.R.M . As apropriações da obra de Pierre Bourdieu no campo educacional brasileiro através de periódicos da área. Revista Brasileira de Educação, São Paulo, v. 17, n.mai-ago/01, p. 63-85, 2001.

DUARTE, R. Entrevistas em pesquisas qualitativas. Educar, Curitiba, n. 24, p. 213-225, Editora UFPR, 2004.

GIMENO SACRISTÁN, J. Tendências investigativas na formação de professores. In: PIMENTA, S.G.; SHEDIN, E. (orgs.). Professor Reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito. São Paulo: Cortez, p. 81-88, (2002).

LIMA, E.F. de. Sobre(as)vivências no início da docência: que recado elas nos deixam? In: LIMA, E.F. de. (Org.). Sobrevivências no início da docência. 1ed.Brasília - DF: Liber Livros, p. 91-100, 2006.

LUDKE, M; ANDRÉ,M. E. D de. Pesquisa em Educação: abordagem qualitativa. São Paulo: EPU. 1986.

MARCELO GARCÍA, C. Desenvolvimento Profissional Docente: passado e futuro. Sísifo. Revista de Ciências e Educação, nº. 08, p. 7-22, 2009.

MARCELO GARCÍA, C. Formação de professores: para uma mudança educativa. Porto Editora, Porto-Portugal, 1999.

NOGUEIRA, M.A. Bourdieu e a educação. Maria Alice Nogueira, Cláudio M. Martins Nogueira. 3ª ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

PIMENTA, S.G.. Formação de professores: identidade e saberes da docência. In. PIMENTA, S.G. (Org.). Saberes pedagógicos e atividade docente. 6. Ed. São Paulos: Cortez, p. 15-34, 2008.

ROCHA, G.A. E agora... cadê os dragões? Uma pedagoga, mestre e doutora em Educação, vai aprendendo a ensinar no exercício da profissão. In: LIMA, E.F. de (Org.). Sobrevivências no início da docência. 1ed.Brasília - DF: Liber Livros, p.67 – 76, 2006.

ROCHA, C.B. A formação de professores nos cursos de pedagogia das universidades federais de Minas Gerais: o lugar do ensino de história:Dissertação (Mestrado em Educação Escolar) Universidade Federal de Uberlândia, Programa de Pós-Graduação em Educação, 2016.

SETTON, M.G.J. A teoria do habitus em Pierre Bourdieu. Revista Brasileira de Educação (Impresso), São Paulo, n.maio/ago, p. 60-70, 2002.

SCHMIDT, M. A. M. S. Construindo conceitos no ensino de História: "A captura lógica" da realidade social. Hist. Ensino, Londrina, v. 5, p. 147-163, out. 1999.

SILVA, M. Como se ensina e como se aprende a ser professor: habitus professoral e didática. 1ª. ed. Bauru: Editora da Universidade Sagrado Coração - EDUSC, v. 1. 150p. 2003.

SILVA, M. Habitus professoral e Habitus estudantil: uma proposição acerca da formação de professores. Educação em Revista (UFMG. Impresso), v. 27, p. 335-360, 2011.

SILVA, M. O habitus professoral: o objeto de estudos sobre o ato de ensinar na sala de aula. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 29, p. 152-163, 2005.

SILVA, F.T.; BORGES, L.F.F.. Currículo e Ensino de História: um estado do conhecimento no Brasil. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 43, n. 4, p. 1693-1723, out./dez. 2018.

SOUZA, T.L.; ARAÚJO, R.N. O ensino de História e a formação do pedagogo: uma análise da percepção docente. História & Ensino, Londrina, v. 26, n. 2, p. 209-233, Jul./Dez. 2020.

WACQUANT, L. Habitus. In. Afrânio Mendes Catani... [et al] (Org.) Vocabulário Bourdieu. 1 ed. Belo Horizente: Autentica Editora, p. 213, 2017.

Downloads

Publicado

2022-04-16

Como Citar

FREITAS, L. L. de; MARIANO, A. L. S. O desenvolvimento profissional docente em diálogo com as concepções teóricas de pierre bourdieu: a constituição do habitus profissional no ensino de história. Formação Docente – Revista Brasileira de Pesquisa sobre Formação de Professores, [S. l.], v. 14, n. 29, p. 25–42, 2022. DOI: 10.31639/rbpfp.v14i29.504. Disponível em: https://revformacaodocente.com.br/index.php/rbpfp/article/view/504. Acesso em: 17 ago. 2022.