Formação docente e relações étnico-raciais

reflexões no contexto da Lei nº 10.639/03

  • Antonio de Assis Cruz Nunes UFMA
  • Luanda Martins Campos PPGEEB/UFMA
  • Lucileide Martins Borges Ferreira PPGEEB/UFMA
Palavras-chave: Formação docente; Relações Étnico-Raciais; Lei nº 10.639/03.

Resumo

O artigo trata sobre formação docente frente a implementação da Lei nº 10.639/03 no interin de uma educação antirracista. O estudo inicia discorrendo sobre os caminhos para construção de uma identidade docente segundo alguns autores e autoras, como: Imbernón (2011); Veiga (2012); Tardiff (2014) e Gauthier (2006). Em seguida, é discorrido sobre formação docente na perspectiva da Teoria histórico-cultural e da interculturalidade. Assim, foram utilizados os alguns autores e autoras: Candau (2000); Duarte (1993); Fleury (2003) e Munanga (2008). A pesquisa concluiu que  é possível ter uma formação docente que contemple uma educação antirracista à luz de enfoques críticos na perspectiva que atendam à implementação da Lei nº 10.639/03.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luanda Martins Campos, PPGEEB/UFMA

Mestranda em Gestão da Educação Básica (UFMA), com graduação em Pedagogia. Especialista em Política de igualdade racial no ambiente escolar (UFMA); Psicologia da Aprendizagem (UEMA); Docência Superior (Uniasselvi); e Gestão e supervisão escolar (Santa Fé). Sou professora dos Anos Iniciais da Rede Municipal de educação de São Luís-MA e atuo como Coordenadora Pedagógica da Universidade Aberta do Brasil - IFMA. Tenho experiência em licenciatura dos Anos Iniciais e Formação docente, com ênfase em currículo e práticas pedagógicas. Sou integrante do Grupo de Estudo, pesquisa e Investigações Afrobrasileiras (GIPEAB-UFMA) e do Grupo de Pesquisa em Educação a Distância e Tecnologias Digitais (GPEaD-IFMA). Realizo pesquisas na área da educação para relações étnico-raciais e formação docente.

Lucileide Martins Borges Ferreira, PPGEEB/UFMA

Mestranda do Programa de Pós-graduação em Gestão do Ensino da Educação Básica- PPGEEB/ UFMA; Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Federal do Maranhão (2008); Graduação em Administração Pública pela Universidade Estadual do Maranhão (2017); Especialista em Educação do Campo pela Universidade Estadual do Maranhão;Atualmente é professora do Ensino Fundamental - SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE SÃO LUÍS. Tem experiência na área de Educação, como Supervisora Escolar da Rede Municipal de Alcântara e; como Professora dos anos iniciais do Ensino Fundamental e Técnico da divisão dos anos iniciais, da SEMED de Paço do Lumiar.

Referências

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. Brasília/DF: SEPPIR/MEC. 2004

BRASIL. Plano nacional de implementação das diretrizes curriculares nacionais para a educação das relações étnico-raciais e para o ensino de história e cultura afro-brasileira e africana. Brasília, DF: MEC, 2009. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=1852-diretrizes-curriculares-pdf&Itemid=30192. Acesso em 02/04/2019

CANDAU, Vera Maria. (Org.). Reinventar a escola. 4ª ed. Petrópolis/RJ: Vozes. 2000

CANDAU, Vera Maria. Diferenças culturais, interculturalidade e educação em direitos humanos. Revista Educação e Sociedade. Campinas, V. 33, N. 118, p. 235-250, jan.-mar. 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v33n118/v33n118a15.pdf. Acesso em 02/04/2019

DUARTE, Newton. Educação Escolar, Teoria do Cotidiano e a Escola de Vigotski. 3. ed. Campinas (São Paulo): Autores Associados, 2001.

DUARTE, Newton. A Individualidade para Si: contribuição a uma teoria histórico-social da formação do indivíduo. Campinas (São Paulo): Autores Associados, 1997.

FLEURI, Reinaldo Mathias. Intercultura e educação. Revista Brasileira de Educação. N.23. P.16-35. 2003. Disponível em: Acesso em 02/04/2019

GAUTHIER, Clermont et al. Por uma teoria da pedagogia: pesquisas contemporâneas sobre o saber docente. 2ª ed. Ijuí: Editora Unijuí, 2006.

IMBERNÓN, Francisco. Formação docente e profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. 9ª Ed. Trad. Silvana Cobucci Leite. São Paulo: Cortez, 2011.

MCLAREN, Peter. Multiculturalismo crítico. 2. ed. São Paulo: Cortez, 1997

MUNANGA, Kabengele (org.). Superando o racismo na escola. 2ª ed. Brasília: MEC. 2008

NÓVOA, Antonio. Profissão professor. Porto: Porto Editora. 1992

PIMENTA, Sema Garrido. Formação de professores: saberes da docência e identidade do professor. In Revista Nuances, vol. III; setembro de 1997

RAMALHO, Betania Leite, NUÑEZ, Isauro Belttrán, GAUTHIER, Clermont. Formar o professor, profissionalizar o ensino: perspectivas e desafios. 2ª Ed.Porto Alegre: Sulina, 2004

REGIS, Kátia. Relações etnicorraciais e currículos escolares. Análises das teses e dissertações em educação. São Luís: EDUFMA. 2012

SILVA, Petronilha Beatriz Gonçalves. Aprender, ensinar e relações étnico-raciais no Brasil. Revista Educação. Porto Alegre/RS. Ano XXX. N. 3 (63). P 489-506. Set./Dez. 2007. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/download/2745/2092. Acesso em 02/04/2019

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. 16ª ed. Rio de Janeiro: Vozes, 2014

VEIGA, Ilma Passos Alencastro, D`ÁVILA, Cristina (orgs). Profissão docente: novos sentidos, novas perspectivas. Campinas: Papirus, 2012

ZUBARAN, Maria Angélica; SILVA, Petronilha Beatriz Gonçalves e. Interlocuções sobre estudos afro-brasileiros: Pertencimento étnico-racial, memórias negras e patrimônio cultural afro-brasileiro. Currículo sem Fronteiras. v.12. n.1, pp. 130-140. Jan/Abr 2012. Disponível em: www.curriculosemfronteiras.org. Acesso em 02/04/2019
Publicado
02-12-2019
Como Citar
NUNES, A. DE A. C.; CAMPOS, L. M.; FERREIRA, L. M. B. Formação docente e relações étnico-raciais. Formação Docente – Revista Brasileira de Pesquisa sobre Formação de Professores, v. 11, n. 22, p. 21-30, 2 dez. 2019.