Preâmbulo aos temas Gênero e Sexualidade na Formação Docente

  • Margareth Diniz Universidade Federal de Ouro Preto
  • Ana Guil Universidad de Sevilla
Palavras-chave: Formação Docente, Gênero, Sexualidade

Resumo

O que este dossiê sobre gênero e formação docente visa é recolocar em discussão no campo da formação docente uma categoria que tem sido invisibilizada, subsumida, pouco tratada no campo da educação, especialmente na formação docente, por meio de artigos que problematizem a categoria gênero e sexualidade na educação e na formação, trazendo à tona a categoria, interrogando sua pregnância binarista nos discursos e na atuação de professoras e professores ao perpetuar premissas de ensino e aprendizagem que poderão, por um lado, estar comprometidos com o discurso de ódio, da escola sem partido[1], ou, por outro, rumo à defesa da pluralidade de gêneros, dos direitos à diferença e à diversidade e suas performances, sem que sofram  rechaço e segregação de seus corpos.

 

 

  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Margareth Diniz, Universidade Federal de Ouro Preto

Programa de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação 

Departamento de Educação UFOP

Ana Guil, Universidad de Sevilla

Facultad de Psicología

Referências

ANDRÉ, Marli. “Pesquisas sobre Formação de Professores: tensões e perspectivas do campo”. IN: FONTOURA, H.A, da SILVA, M. (Orgs) Formação de professores, culturas: desafios à pós-graduação em Educação em suas múltiplas dimensões, Rio de Janeiro, 2011. (Coleção ANPEd Sudeste, 2011, livro 2).

APPLE, M. W. Trabalho docente e textos: economia política das relações de classe e de gênero em educação. Porto Alegre: Artes Médicas, 1995.

BEAUVOIR, Simone. O segundo sexo: A experiência vivida. Vol. 2. Rio de Janeiro, Nova Fronteira. 1967

BUTLER, Judith. Problemas de gênero – feminismo e subversão da identidade. Tradução de Renato Aguiar. 5ª. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2013.

FERRAZ, Cláudia, DINIZ, M. “Nem tão contemporânea assim: a mulher-professora e seus tropeços diante da diferença. 2013. SP. Paco Editora.

FASSIN, Eric. A Double-Edged Sword: Sexual Democracy, Gender Norms and Racialized Rhetoric. In: BUTLER, Judith; WEED, Elizabeth (Orgs.).The Question of Gender:Joan W. Scott's Critical Feminism. Bloomington: Indiana University Press, 2011.

GARCIA, Marcelo C. O professor iniciante, a prática pedagógica e o sentido da experiência. Carlos Marcelo Garcia. Form. Doc., Belo Horizonte, v. 02, n. 03, p. 11-49, ago./dez. 2010. 11 Disponível em http://formacaodocente.autenticaeditora.com.br

IMBERNON, Francisco. Formação docente e profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. 5.ed.São Paulo. Cortez, 2005.

FURLANI, Jimena. Educação sexual: possibilidades didáticas. In: Corpo, gênero e sexualidade: um debate contemporâneo da educação. Rio de Janeiro: Vozes, 2003, p. 66-81.

JUNQUEIRA, RogérioDiniz. “Ideologia de gênero”: a gênese de umacategoria política reacionária– ou: a promoção dos direitos humanos se tornouuma “ameaça à família natural”? In: RIBEIRO, Paula Regina Costa; MAGALHÃES, JoanaliraCorpes (Org.). Debates contemporâneos sobre Educação para a sexualidade. Rio Grande: Ed. da FURG, 2009.

LOURO, G. L. Org.). O corpo educado: pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.

LOURO, G. L. Mulheres na sala de aula. In. PRIORE, Mary Del (org); BUSSANEZI, Carla (coord. De textos). História das mulheres no Brasil. 8 ed. São Paulo: Contexto, 2006.

MIGUEL, Luis Felipe. Da “doutrinação marxista” à "ideologia de gênero" - EscolaSem Partido e as leis da mordaça no parlamento brasileiro. Direito&Práxis, Rio de Janeiro, vol. 7, n. 15, pp. 590-62, Rio de Janeiro, 2016.

MIZUKAMI, M. G. N. et al. Escola e aprendizagem da docência: processos de investigação e formação. São Carlos: EDUUFSCar, 2002

MOREIRA, Antonio Flávio Barbosa; SILVA, Tomáz Tadeu. Sociologia e teoria crítica do currículo: uma introdução. In: MOREIRA, Antonio Flávio Barbosa; SILVA, Tomáz Tadeu da. Currículo, cultura e sociedade. 12. ed. São Paulo: Cortez, 2011. p. 13-47.

SAFFIOTI,Heleieth. Gênero, patriarcado, violência. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2004.

VEIGA-NETO, Alfredo. Delírios avaliatórios: o currículo desvia para a direita ou um farol para o currículo. In: FAVACHO, André Márcio Picanço; PACHECO, José Augusto; SALES, Shirlei Rezende. Currículo, conhecimento e avaliação: divergências e tensões. Editora CRV. 2013.

RINALDI, Renata Portela. Formação de formadores: aprendizagem profissional de professoras-mentoras para uso da informática na educação. São Carlos: EDUUFSCar. 2009

SCOTT, Joan. Deconstructing Equality-versus-Difference: Or, the Uses of Poststructuralist Theory for Feminism. FeministStudies, Vol. 14, No. 1 (Spring, 1988), pp. 32-50.
Publicado
28-07-2020
Como Citar
DINIZ, M.; GUIL, A. Preâmbulo aos temas Gênero e Sexualidade na Formação Docente. Formação Docente – Revista Brasileira de Pesquisa sobre Formação de Professores, v. 12, n. 24, p. 13-26, 28 jul. 2020.